Pintura

Guido Reni, o pintor celestial

No início de sua carreira, Reni executou importantes encomendas para o Papa Paulo V e o cardeal Scipione Borghese (sobrinho do papa), pintando numerosos afrescos em capelas para esses e outros patronos. Entre essas obras está o célebre afresco “ Aurora ” ( 1613-1614 ). 

Em suas pinturas religiosas e mitológicas, Reni desenvolveu um estilo que temperou a exuberância e a complexidade do barroco com a contenção clássica. Composições como “ Atalanta e Hippomenes ” ( 1625 ) mostram sua preferência por figuras elegantemente colocadas que refletem os ideais antigos. A pintura do mestre é marcada pela nobreza e ideias celestiais.

Formado inicialmente em música pelo pai, musicista a serviço da Signoria de Bolonha, Guido Reni estudou pintura de 1584 a 1593 no ateliê do pintor flamengo Denis Calvaert, já então há muito instalado em Bolonha.

Neste período, dedica-se intensamente ao estudo das gravuras de Dürer e das pinturas de Rafael. Por volta de 1595, adere à Accademia del Naturale, que os irmãos Carracci, juntamente com seu primo, Lodovico tinham aberto em 1582.

É deste período suas primeiras experiências pictóricas a partir de modelos de Annibale e de Rafael, do qual copia varias vezes o Êxtase de Santa Cecília, hoje na Pinacoteca Nacional de Bolonha.

No final de sua carreira, empregou tons mais claros, cores mais suaves e pinceladas extremamente livres. Vinte pinturas estão agora no Louvre, sete na National Gallery de Londres e onze no Hermitage.

Nasceu em 4 de novembro de 1575 e faleceu em 1942 em Bolonha, Itália.

O célebre afresco “ Aurora ”.
Em 1635, Guido Reni pintou um afresco representando o Arcanjo Miguel para a igreja romana de Santa Maria della Consezione dei Capucini. O trabalho durou cinco anos e, quando foi concluído, estranhos rumores começaram a circular entre as pessoas. Dizia-se que Satanás, que jaz derrotado aos pés de Miguel, tinha o rosto do cardeal Giovanni Battista Pamphil.
Inspirada nas Metamorfoses de Ovídio, esta obra-chave da obra de Reni conta a história de Atalanta , filha de Schoeneus, rei da Arcádia .

Fontes de pesquisa: Hermitage Museum, Your Wo, ArtFex, Arts and Culture, Museo del Prado, WGA, Wikimédia, Repositório Unicamp, Painting Planet.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo