Pintura

Tetsuya Ishida e a rotina angustiante.

As obras de Tetsuya Ishida nasceram das agruras da vida real, como as sensações claustrofóbicas dos indivíduos e sua desorientação numa sociedade tecnologicamente avançada e de um sistema financeiro massacrante. Mostram homens esfolados, devorados e explorados pela manufatura industrial e pelos frutos de sua produção.

O personagem central é a representação gráfica do próprio artista, mas com o título ” O auto retrato do outro. O expectador é forçado a testemunhar um corpo repetidamente submetido a humilhações advindas da exploração do sistema industrial.

Ele retratou isso com os elementos fantásticos do surrealismo, onde seu auterego está preso a máquinas ou animais, ou tratado como parte de uma linha de produção. Ishida foi um crítico fugaz da estrutura social japonesa, a qual ele dizia estar cheia de pessoas modernas escondidas dentro “da dor e da tristeza”. Em 2006, uma de suas obras alcançou o valor de 100 mil dólares.

Tetsuya Ishida Yaizu nasceu na província de Shizuoka, em 1973. Após graduar-se na Musashino Art University, representou com talento incomum a pintura japonesa. No entanto, deixou órfã toda uma geração de artistas quando, prematuramente, morreu vitima de um acidente ferroviário, em maio de 2005, aos 31 anos de idade.

 

 
 
 
 
 

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button