Pintura

O fascinante terror de Zdzisław Beksiński

Beksinski foi um mestre do chamado surrealismo distópico. Suas icônicas imagens se tornaram referência para centenas de artistas. Se tornou um ícone, inclusive, para os designers de jogos eletrônicos.

Nasceu em 1929. Sua primeira formação foi em Arquitetura da Universidade de Tecnologia de Cracóvia. Depois enveredou como projetista de ônibus para uma fábrica de automóveis. Na década de 1950, atuou como fotógrafo que, por ficar desapontado com as possibilidades limitadas de alterar as imagens que capturava, deixou pra trás.

A fotografia parecia restringir sua imaginação, então ele se voltou para o desenho e a pintura, campos que ofereciam a possibilidade de ‘fotografar sonhos’, como ele dizia.

Beksiński não buscava enquadramento em tendências da arte, criou seu próprio universo. Dentro desse universo foi passando por estágios, um período onírico, outro gótico e, por fim, com a chegada das tecnologias, se rendeu às manipulações de imagens.

Uma série de infortúnios fez dos dias finais de Beksiński um conto de terror. Além das desventuras com a família, Em 2005, o pintor foi morto a facadas em seu apartamento pelo filho de 19 anos de sua faxineira.

Muitos associam sua arte à um profetismo sobre sua vida. Na verdade, o artista deixou um legado e influencia o mundo da arte até hoje.

Fontes de pesquisa: Polish culture, Culture Pl, 80 Level, Daily Art Magazine, Birth Movies Death, Dark Art And Craft, artpeoplegallery, Beinart.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo