Retrô

Dagen H Day, o dia em que o trânsito mudou de lado

O motorista sai de casa para o trabalho e de repente percebe que está na contramão. Um dia antes ele estaria na mão certa. Foi assim o famoso dia Dagen H, o dia em que a Suécia resolveu mudar o curso do trânsito.

O Dia H (o H significa ‘högertrafik‘ – trânsito correto) foi um momento histórico e potencialmente catastrófico. No dia 3 de setembro de 1967, às 04h45, todos os carros pararam, cruzaram lentamente para o lado oposto da estrada e pararam novamente, aguardando o próximo sinal.

Às 5h da manhã, o rádio anunciou que o trânsito havia mudado oficialmente para a direita, e essa foi a estranha narrativa de como a Suécia parou de dirigir pela esquerda. É como se o leitor brasileiro acordasse num dia e o trânsito fluísse agora pela esquerda. Uma quebra de paradigma gigantesco.

Ainda havia a questão do volante ficar do lado oposto.  Isso levou a muitas colisões frontais ao passar em rodovias estreitas de duas pistas.

Duvido muito que consigamos algo semelhante hoje. De repente, todos tiveram que mudar seus hábitos e comportamento. Alguns pesquisadores alertaram que haveria um banho de sangue, mas foi extremamente bem-sucedido”, disse Claes Tingvall, professor e ex-diretor de segurança de tráfego das autoridades rodoviárias da Suécia, à agência de notícias.

Preparar o país e seus quase 8 milhões de residentes para a mudança massiva foi uma tarefa cara e complicada. Os semáforos tiveram que ser invertidos, os sinais das estradas mudados, os cruzamentos redesenhados, as linhas nas estradas repintadas, os ônibus modificados para fornecer portas em ambos os lados e os pontos de ônibus realocados.

Graças ao planejamento cuidadoso, a transição gigantesca ocorreu perfeitamente. Além dos inevitáveis engarrafamentos e alguns acidentes menores, ninguém morreu. Os inúmeros jornalistas que se reuniram nas ruas esperando um banho de sangue ficaram quase desapontados.

Os países que se tornaram parte do Império Britânico adotaram a regra da mão esquerda. Alguns países acabaram mudando para a direita, como o Canadá, para facilitar as travessias de fronteira de e para os Estados Unidos.

Tráfego pela esquerda em Estocolmo em 1966

Fontes de pesquisa: Washington Post, Hogertrafiken, Digimages, Fika, Biz Stories, Ilpost, Daily Mail, Real Scandinavia, Wikimédia, GNZ Japão.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo